Cada vez mais, as empresas focam suas operações em vendas online. Há inclusive muitos empreendimentos que já não possuem mais pontos de venda físicos e trabalham apenas em ambiente digital.

Nesse cenário, é fundamental contar com tecnologias que possam aumentar a segurança e a eficiência das operações. O gateway de pagamento é um importante aliado nesse processo e neste artigo você ficará por dentro de seu funcionamento e principais vantagens.

Afinal, o que é o gateway de pagamento?

Um gateway de pagamento é um serviço de comércio eletrônico que processa pagamentos realizados com cartão de crédito para lojas empreendimentos que vendem produtos ou serviços online. Eles desempenham um papel vital no processo de transação de comércio eletrônico, autorizando o pagamento entre o comerciante e o cliente.

São constituídos de um conjunto de softwares e servidores que transmitem informações de transação para bancos adquirentes e respostas de bancos emissores, por exemplo, informando se houve aprovação ou não.

Essencialmente, os gateways de pagamento facilitam a comunicação dentro dos bancos, transferindo informações importantes entre portais de pagamento, como dispositivos móveis, sites habilitados e sistemas bancários.

A tecnologia embarcada em um gateway de pagamento, basicamente, é vista por meio de um front-end que lê os cartões de pagamento e envia as informações do cliente ao banco adquirente do comerciante para processamento.

Dessa forma, o gateway se torna um aspecto fundamental dentro todo o processamento de cartões de pagamento eletrônico.

O processador de pagamento envia os dados da transação para uma associação de cartões. O banco emissor do cartão de crédito visualiza a solicitação de autorização e “aprova” ou “nega”.

Preenchendo o pedido, processador então encaminha uma autorização referente ao comerciante e ao consumidor para o gateway de pagamento. Depois que o gateway obtém essa resposta, ele o transmite para o site / interface para processar o pagamento.

Aqui, isso é interpretado e uma resposta apropriada é gerada. Esse processo aparentemente complicado e demorado normalmente leva apenas alguns segundos no máximo.

Além de fornecer a capacidade de transações em tempo real, esses provedores podem ajudar, por exemplo, a traduzir moedas entre duas partes em diferentes países. Os gateways de pagamento geralmente cobram daqueles que os utilizam uma taxa por transação.

Quais as vantagens de se utilizar um gateway de pagamento?

A segurança é um componente integral de todos os gateways de pagamento, já que dados confidenciais, como os números de cartão de crédito, precisam ser protegidos contra quaisquer partes fraudulentas. Ao aumentar a segurança, com certeza, você poderá observar o crescimento dessa métrica fundamental que é o faturamento.

As associações de cartões criaram um conjunto de regras e padrões de segurança que devem ser seguidos por qualquer pessoa com acesso às informações do cartão, incluindo gateways. Esse conjunto de regras e padrões de segurança internacional é chamado, em inglêsPayment Card Industry Data Security Standards (PCI-DSS).

O envio de um pedido geralmente é concluído usando o protocolo HTTPS, que comunica com segurança as informações pessoais das partes envolvidas na transação. Muitos provedores de pagamento permitem que os comerciantes adicionem opções quando um titular de cartão adquire um serviço ou produto, como a oferta de seguros, garantias estendidas e outros.

As informações transmitidas são criptografadas pelo navegador, fazendo com que o envio de dados entre ele e o servidor da web do fornecedor aconteça com menores riscos de interferências no processo. O gateway envia diretamente os dados da transação para o processador de pagamento utilizado pelo banco adquirente do fornecedor.

Os gateways de pagamento também rastreiam pedidos com uma infinidade de ferramentas úteis. Esse processo de triagem coíbe o máximo possível de erros.

Dentre elas, podemos destacar:

  • a verificação do endereço de entrega,
  • a tecnologia de impressão digital por computador,
  • a análise de padrão de velocidade de transmissão e a
  • geolocalização.

Podem inclusive ser configurados para calcular valores de impostos inerentes às transações.

Há pontos de atenção que devem ser observados?

Como todo processo online, é preciso ressaltar que ainda há certo risco em relação às informações dos clientes. Claro, as ferramentas e tecnologias evoluem no sentido de eliminar esses problemas, mas ainda existe a possibilidade. Principalmente quando a empresa trata o processo de forma negligente.

Um número grande informações como nomes de clientes, dados de contas bancárias, números de cartão de crédito e senhas pode ficar exposto. São dados muito valiosos e constantemente alvos de ataques. Uma a empresas de gateway de pagamento pode estar mal-intencionada e, inclusive, vender essas informações no mercado. Por isso é tão importante buscar boas referências.

Há também o problema no tempo de resolução de falhas técnicas. Um gateway de pagamento é basicamente um software. E, assim como qualquer software de computador, pode apresentar erros, às vezes. Quando isso acontece, pode ter efeitos sérios.

Os clientes podem não mais voltar para concluir suas compras, com um claro prejuízo à imagem de seu negócio.

Nesse contexto, ainda há muitos clientes que, por medo ou desconhecimento deixam de fazer compras online. Esse não é um problema do gateway em si, mas sim do processo de venda online como um todo. O gateway de pagamento pode inclusive servir como argumento para que você consiga convencer mais pessoas a optarem pelas compras digitais.

Embora haja várias opções em termos de gateways de processamento de pagamentos on-line, deve-se ter cuidado ao considerar alguns fatores-chave. Entre as considerações mais significativas estão:

  • a taxa de instalação, a segurança das informações e transações do cliente,
  • o tempo necessário para processar pagamentos,
  • a flexibilidade das moedas e vários países.

Outro fator importante a considerar são as taxas de transação. Isso inclui taxas de retirada e transferência, bem como taxas de câmbio.

Quais as diferenças entre um gateway e um intermediador de pagamentos?

O intermediador de pagamentos convencional é responsável pelo envio de dados de pagamento do comerciante para o banco emissor e depois para o banco adquirente. Tradicionalmente, o intermediador oferece uma solução bem simples e com baixa flexibilidade.

Dessa forma, o comerciante perde sua capacidade de negociar com operadores de cartão de crédito e bancos, pois se constituí em um canal único. Pode ser uma boa opção para empresas que estão começando e tem menores volumes de venda, que podem utilizar esse tipo de procedimento até como aprendizado para evoluir.

Uma vez que o integrador simplifica, o acesso às transações é mais limitado. Já com o gateway de pagamento, você poderá ter contato direto com os bancos e operadoras, e assim controlar diretamente todo o fluxo das transações.

O check-out, que é o momento em que o cliente efetivamente irá concluir o pagamento, também é mais transparente quando você utiliza o gateway. Isso porque ele acontece na própria página de seu e-commerce, enquanto ao optar por um intermediador, há o redirecionamento. É notório que muitos consumidores abandonam a compra quando isso acontece, por ficarem desconfiados de fraudes.

Quando você opta pelo gateway, sua empresa tem um maior poder de negociação junto às instituições adquirentes, e assim, conseguem melhores condições e taxas para seus clientes e para incrementar sua gestão financeira.

Já na intermediação, as taxas costumam ser fixas, limitando suas ofertas aos consumidores.

Sem dúvidas, a tecnologia de gateway de pagamento é uma grande aliada do empreendedor, especialmente importante quando ele decide fazer operações de venda online. É uma ferramenta que simplifica e aumenta a segurança das transações e te permite oferecer mais e melhores soluções aos seus clientes.

Sua empresa já utiliza o gateway de pagamentos? Essa tecnologia poderia ajudar a alavancar suas vendas? Deixe nos comentários suas impressões a respeito do assunto!