Planejar-se é importante, pois essa ação ajudará você a pensar em ações, estratégias e operações com a intenção de desenvolver a empresa. Um dos aspectos que merecem atenção são as finanças. O planejamento financeiro visa projetar as receitas e despesas das companhias e indica a situação econômica do negócio. Ao realizar esse procedimento, fica mais fácil visualizar o faturamento, o quanto você pode gastar e como fazer investimentos de forma otimizada.

Está interessado em saber mais sobre o assunto? Neste post forneceremos dicas que ajudarão você a planejar a parte financeira de forma eficiente e explicaremos como as tecnologias podem ajudar nesse procedimento. Boa leitura.

Como fazer o planejamento financeiro?

Realmente não é uma tarefa fácil, pois é necessário disciplina e foco. No entanto, todo sacrifício vale a pena. Com a adoção de algumas medidas, é possível se planejar financeiramente.

Entre elas estão o conhecimento dos gastos, o entendimento das movimentações financeiras, a definição de um orçamento, a estimativa de faturamento e o uso dos sistemas de gestão. Abordaremos sobre essas questões na sequência do artigo. Continue lendo!

Conheça os custos

Sem dúvida, é essencial conhecer os detalhes ligados aos processos produtivos, seja de um serviço ou produto. Nesse sentido, é muito importante saber quais são os recursos consumidos e o quanto é gasto para produzir uma mercadoria ou disponibilizar um serviço.

Esse conhecimento é essencial na definição dos preços dos produtos e impacta diretamente nas finanças. Se a precificação for definida de maneira errada, ela pode causar prejuízos ao seu negócio. Isso porque é preciso considerar o que foi gasto (no processo produtivo e na mão de obra) e definir uma margem de lucro no momento de definir o valor de uma mercadoria.

Fique atento em relação ao fluxo de caixa

Trata-se de um instrumento indispensável na administração financeira de qualquer empreendimento, pois o gestor terá uma visão ampla do negócio e ficará por dentro das entradas e saídas de recursos em determinado período. Ao ter um controle rigoroso do fluxo de caixa, fica mais fácil conseguir um balanço sempre positivo, obter lucros e poder utilizá-los com o intuito de melhorar os produtos ou serviços.

No entanto, para isso, é necessário conhecer detalhadamente todas as receitas e despesas. A partir daí será possível criar a projeção de fluxo de caixa. Ela mostrará como o fluxo se comportará no futuro.

Esse indicador é fundamental, pois possibilita que o gestor tome providências certeiras com a intenção de diminuir gastos com antecedência, busque outras fontes de receita e saiba o momento exato de fazer novos investimentos na empresa.

Separe as despesas pessoais das da empresa

Não use o dinheiro pessoal com a intenção de quitar as despesas da companhia e nem utilize os recursos da empresa para pagar as suas dívidas. Essa ação pode simplesmente levar o empreendedor a falência ou comprometer a saúde financeira da empresa.

Isso acontece porque muitos gestores perdem a referência sobre o que é dinheiro pessoal e o que é dinheiro da companhia. Em várias ocasiões, essas situações prejudiciais aos negócios em muitos casos são irreversíveis, podendo levar a falência do empreendimento.

Faça planejamento orçamentário

Ao investir em uma empresa, você deve ter a consciência de que será necessário um certo tempo para ter retorno do capital investido. Por isso, é importante realizar um planejamento orçamentário com investimentos iniciais de 12 meses até que a companhia consiga fidelizar os primeiros clientes.

As suas finanças pessoais também devem estar preparadas para enfrentar esses períodos de baixo faturamento. Por isso, é importante ter uma reserva de emergência que dê para custear pelo menos 12 meses de gastos. Mesmo se o negócio não apresentar grandes lucros, ao menos você conseguirá arcar com as necessidades básicas, como alimentação, moradia, água, internet, luz etc.

Faça estimativas de faturamento

Trata-se de uma projeção de quanto a organização vai faturar mensalmente. Nesse momento, é fundamental conhecer detalhadamente a demanda do mercado e a capacidade produtiva da empresa. Você pode basear a estimativa no desempenho nos meses anteriores ou nas metas de produtos e serviços a serem vendidos em um determinado período.

No final do levantamento, o valor do faturamento deve ser igual ou superior aos dos custos da companhia para não operar no vermelho e, consequentemente, ser lucrativo.

Agora, você deve estar se perguntando: qual é a importância dessa estimativa? Por meio dela será possível saber o momento exato para se fazer investimentos no negócio. Eles podem ser, por exemplo, vender novos produtos ou serviços, contratar funcionários, abrir novas filiais, entre outras ações.

Como a tecnologia pode ajudar no planejamento financeiro da PME?

Realmente não dá para anotar todas as informações da empresa no papel. Afinal de contas, é necessário ficar atento em diversos aspectos. Entre eles estão a parte financeira, de vendas, recursos humanos etc.

As ferramentas on-line registram todos esses dados de forma simples, rápida e automática. Dessa maneira, os gestores terão informações importantes e confiáveis sobre o empreendimento sempre quando precisarem.

Existem várias tecnologias que são úteis para as PMEs (Pequenas e Médias Empresas). Entre elas estão os sistemas de gestão. Os softwares auxiliam no controle financeiro e também são úteis na organização do fluxo de caixa da sua empresa.

A plataforma on-line também otimizará o trabalho da companhia, integrará diversos departamentos, fará o monitoramento de todas as despesas e manterá os dados referentes ao negócio sempre seguros.

Tudo isso, somado, para que você economize tempo e recursos financeiros na realização de diferentes tarefas e otimize a gestão da empresa. Os benefícios proporcionados pelas tecnologias ajudam as organizações a otimizar a produtividade, focar nos aspectos mais importantes do negócio, crescer no mercado e, consequentemente, apresentar maiores lucros.

Um bom planejamento financeiro é um dos principais segredos das empresas de sucesso. Por meio dessa ação, os gestores conhecem as fontes de receitas, os gastos e verificam a saúde financeira do empreendimento. Com essas informações, fica mais fácil saber qual o momento ideal para fazer investimentos e também observar a hora certa de cortar despesas, principalmente aquelas que são supérfluas.

Agora que já sabe como fazer o planejamento financeiro da sua empresa, confira como fazer o controle das contas a receber. Esse procedimento ajudará a verificar as receitas mensais, se o momento é favorável para investir e diminuir os níveis de inadimplência.