Netflix e Spotify. Você já se perguntou o que essas duas marcas têm em comum? Ao olhar para elas e para seus serviços podemos ver uma certa semelhança, mas… o que será isso? Bom, as duas fazem parte de um novo modelo de consumo chamado economia de recorrência.

Esse modelo busca trocar os produtos por experiências, dando mais autonomia e poder aos clientes. Assim, em vez de a empresa se preocupar com as vendas a serem feitas, ela precisa focar na retenção dos usuários. Veja o caso da Netflix: em vez de vender filmes, ela vende experiências mediante uma assinatura com cobrança mensal.

A economia de recorrência já é uma tendência e sua empresa também pode entrar nessa nova “onda” de consumo. Quer saber como? Então, continue a leitura!

Quais são as vantagens da economia de recorrência?

Além de ser muito interessante, a economia de recorrência traz uma série de vantagens para as empresas. De modo geral, essa transformação na forma de fazer negócios tende a mudar completamente a relação entre a companhia e seus clientes.

Dentre as principais vantagens da economia de recorrência temos a redução do Custo de Aquisição de Clientes (CAC), maior estabilidade para a empresa e uma melhor retenção de clientes. Vamos ver cada uma dessas vantagens individualmente? Acompanhe!

Redução do Custo de Aquisição de Clientes (CAC)

Uma das grandes vantagens desse modelo de negócio focado na experiência é que o CAC sofre uma grande redução. Veja bem: para vender na economia de produto (o modelo tradicional) você sempre precisa conquistar novos clientes e convencê-los a adquirir as mercadorias ou serviços da sua marca — o que normalmente exige uma compra de maior valor.

Por outro lado, na economia de recorrência o cliente vira um assinante. Isso significa que depois de aderir ao serviço ele se torna um usuário fixo, ou seja, não é necessário investir para atraí-lo novamente — nesse caso, o investimento deve ser direcionado para a retenção dessas pessoas.

Maior estabilidade para a empresa

Outra vantagem muito interessante da economia de recorrência é que ela é mais previsível. Diferentemente da antiga venda de varejo em que o faturamento oscila frequentemente, nesse novo modelo os clientes assinam um plano, dando certa estabilidade ao fluxo de caixa.

Assim, é mais fácil de saber quais serão os recebimentos mensais da empresa. Isso ajuda bastante na hora de fazer uma projeção sobre os impactos de novos investimentos — já pensou se você tenta expandir sua empresa, as vendas caem e acaba faltando dinheiro? — ou sobre o quão viável é esse modelo de negócio a longo prazo.

Maior retenção de clientes

Como não poderia ser diferente, a economia de recorrência também favorece a retenção de clientes. Esse modelo é focado na experiência, sempre buscando satisfazer as necessidades da clientela e entregar mais do que apenas produtos.

Os consumidores veem isso com bons olhos — a Netflix e o Spotify que o digam, não é mesmo? — e gostam de ter opções como estas disponíveis no mercado. Para garantir um sucesso ainda maior, sua empresa pode unir esse modelo de negócio inovador a um excelente serviço focado em reter clientes, sempre buscando a excelência no atendimento.

Como migrar para a economia de recorrência?

Esse novo modelo de negócio é realmente muito interessante. A ideia de poder ter vários clientes fixos todos os meses, prever o fluxo de caixa e ter mais estabilidade é algo que deixa os empreendedores muito animados. Com você não é diferente, não é mesmo?

Então, chega de teoria e vamos para a parte prática! A seguir listamos os principais passos que você precisa seguir para fazer com que seu negócio migre para a economia de recorrência. Confira!

Precifique seu produto

A parte mais difícil, mas também mais importante, dessa migração é a precificação do seu produto ou serviço. É preciso colocar um preço ideal para que o cliente veja um ótimo custo-benefício na proposta, mas sem prejudicar seu faturamento e elevar os seus custos.

É importante ter atenção ao objetivo da economia de recorrência. Seu foco não vai ser em fechar uma grande venda, mas em fidelizar os clientes a longo prazo, de modo que as assinaturas deles compensem o seu tempo e a deterioração, ou manutenção, dos seus produtos.

Mesmo depois de encontrar o equilíbrio entre o melhor custo-benefício para seu cliente e a melhor rentabilidade para você, é necessário ficar atento. Seu preço precisa ser revisado frequentemente para evitar prejuízos e perda de assinantes, okay?

Adote uma plataforma de cobranças

Além de um preço justo pelo serviço, você precisará dar suporte para seus clientes fazerem os pagamentos. Como a ideia é adotar o modelo de assinaturas mensais, uma plataforma de cobranças é indispensável.

A melhor estratégia é procurar por algum serviço que permita uma cobrança direta, ou seja, com o dinheiro caindo na sua conta na hora da cobrança. Isso evita que suas finanças fiquem desequilibradas porque os clientes atrasaram os pagamentos. Um bom exemplo de plataforma que entrega essa comodidade é a ReCB.

Tenha uma área de customer success

Uma dos pontos mais importantes que destacamos ao longo do texto é que a economia de recorrência é baseada na experiência do cliente. Pessoas que entram em contato com experiências prazerosas e inesquecíveis se tornam clientes fiéis que mantêm suas assinaturas por vários meses.

Dessa forma, o investimento em customer success é indispensável para garantir um bom resultado para sua empresa. Mesmo que seu negócio não comporte um setor especializado na experiência do cliente, você precisará, no mínimo, contratar uma pessoa com essa habilidade.

Quando falamos de vender experiências e reter clientes em um modelo de assinaturas, entender o pensamento das pessoas e como elas se relacionam com a marca é fundamental. É preciso fazer com que o uso dos seus produtos e serviços seja algo apaixonante e indispensável.

Se você conseguir fazer isso — oferecer um ótimo custo-benefício, contar com uma boa plataforma de cobranças e investir na experiência do cliente — seu negócio terá tudo para dar certo na economia de recorrência. Essa migração não é simples, mas os resultados valem a pena.

Além dessas ideias que explicamos ao longo do texto, nós temos várias dicas para dividir com você. Se quiser ter acesso a elas é só assinar a nossa newsletter. Dessa forma, nós podemos enviar conteúdos diretamente para o seu e-mail.