Para que uma empresa aumente seu faturamento, é imprescindível que seus gestores ampliem seu grau de conhecimento financeiro. Você tem lembrado de se atualizar? Que tal então começar agora, conhecendo alguns dos livros de gestão financeira que não podem faltar em sua cabeceira?

A fim de ajudá-lo nessa tarefa, separamos 5 dos principais livros sobre o tema. Continue a leitura e confira!

1. Quem Pensa Enriquece – Napoleon Hill

Os sonhos se tornam realidade quando o desejo os transforma em ação concreta. Peça grandes presentes à vida e ela os dará a você.”

O que faz um homem parecer ter adquirido o poder de um rei Midas, transformando em ouro tudo o que aparece pela frente, enquanto outro luta, fracassa e sempre termina em nada? Qual o limiar entre o sucesso absoluto e a repetível frustração?

Quem Pensa Enriquece foi publicado pela primeira vez em 1937 pelo “consultor em realizações pessoais” Napoleon Hill (1883-1970), um norte-americano influente que, àquela época, já ostentava esse título um tanto inusitado. Mas, o que seria um “consultor de sucesso pessoal”?

Napoleon começou a explicar isso na prática ao dedicar 20 longos anos de sua vida à investigação de homens de triunfo, no intuito de extrair, dessas muitas personalidades, virtudes em comum, além de características e iniciativas presentes em todos os bem-sucedidos e que culminavam inevitavelmente em prosperidade.

Seu prestígio o alçou ao posto de assessor dos presidentes Woodrow Wilson e Franklin Delano Roosevelt e resultou nesse best-seller que já vendeu mais de 30 milhões de exemplares ao redor do mundo. Sem dúvidas, um dos melhores livros de gestão financeira da história.

Quem Pensa Enriquece é estruturado em torno dos “13 passos em direção à riqueza”:

  1. desejo;
  2. fé e confiança;
  3. autossugestão;
  4. conhecimento especializado;
  5. imaginação;
  6. pensamento organizado;
  7. decisão;
  8. persistência;
  9. poder da “mente superior”;
  10. mistério da transmutação sexual;
  11. subconsciente;
  12. cérebro;
  13. sexto sentido.

Em cada um desses tópicos, você encontrará narrativas detalhadas sobre a história de vida de homens outrora comuns que, por meio de diferentes impulsos psíquicos de inconformismo e pensamento estratégico, redesenharam suas trajetórias em direção ao sucesso. Em meio a cada narrativa, o autor apresenta dicas e passos para levar sua vida ao mesmo destino desses homens apresentados.

Essa obra pode ser encontrada na íntegra neste link!

2. O Homem Mais Rico da Babilônia – George S. Clason

O dinheiro é abundante para aqueles que compreendem as leis simples que governam sua aquisição. O dinheiro é hoje governado pelas mesmas leis que o controlavam quando, há seis mil anos, homens prósperos enchiam as ruas da Babilônia.”

A origem da palavra Babilônia tem suas raízes no grego antigo e no hebraico, derivando da palavra “babel” que, traduzindo para o português, significa “desordem”, “confusão”. Como você pode imaginar, é dessa região que advém o mito bíblico da Torre de Babel. Mas não é só isso. O Código de Hamurabi, considerado o mais antigo conjunto de leis de que temos notícias, também tem origem nessa civilização.

A Babilônia foi a antiga capital da Suméria, na região da Mesopotâmia que, atualmente, corresponde ao Iraque. Muito conhecida pelas suas técnicas avançadas de astronomia, arquitetura, agricultura, economia e militarismo, a região já foi um ícone de prosperidade.

A forma com que seus habitantes gerenciavam e multiplicavam suas posses justifica os ensinamentos desses povos a nós, até os dias de hoje, especialmente porque ali habitavam os homens mais ricos de sua época. Devido às limitações de recursos naturais (pois é uma região desértica), eles tiveram que aprender inúmeras técnicas especiais para gerenciar recursos escassos e, assim, manter seu patrimônio.

As muitas lendas sobre os babilônios inspiraram o escritor norte-americano George S. Clason (1874-1957) a criar um dos maiores clássicos entre os livros de gestão financeira, que traz conselhos valiosos a quem deseja:

  • buscar informação em vez de apenas lucro;
  • entender como não desperdiçar recursos na opulência;
  • manter pontualidade no pagamento de dívidas;
  • ter gestão de cobranças eficiente;
  • assegurar renda para o futuro; e
  • cultivar suas próprias aptidões.

Destaque para as explicações que estão dentro das “7 soluções para a falta de dinheiro”:

  1. comece a fazer seu dinheiro crescer;
  2. controle seus gastos;
  3. multiplique seus rendimentos;
  4. proteja seu ouro contra a perda;
  5. faça do lar um investimento lucrativo;
  6. assegure uma renda para o futuro;
  7. aumente sua capacidade para ganhar.

Cada uma dessas soluções é derramada sinuosamente por meio de parábolas. Nelas, em vez de simplesmente entregar comandos imperativos diretos (como o fazem os livros de autoajuda modernos), o autor, de forma literária, contorna narrativas fazendo uso abundante de alegorias, metáforas e metonímias, a fim de sagazmente permitir que o próprio leitor chegue às conclusões por si mesmo.

Trata-se de um valioso recurso didático, que substitui a efemeridade das informações jogadas de forma dogmática a um leitor “passivo” por um conjunto de fatos que impulsiona esse mesmo leitor a assumir uma “postura ativa”.

Com isso, ele se torna capaz de julgar por si mesmo a sina de cada personagem e de criar um fluxo de aprendizado perene e diretamente associado à sua própria vida. É aquele lema de “aprender com os erros dos outros” levado ao extremo.

Você também consegue baixar essa obra na íntegra, em pdf, neste link!

3. Princípios da Administração Financeira – Lawrence Gitman

As 848 páginas da obra de Lawrence Gitman formam uma verdadeira obra-prima das finanças empresariais, o que faz dela leitura obrigatória na maior parte dos cursos de nível superior de Economia, Administração e Ciências Contábeis. Esse livro traz os mais importantes conceitos ligados ao planejamento financeiro de empresas dos mais variados portes e segmentos.

O grande mérito dessa sumidade entre os livros de gestão financeira é acompanhar exercícios e casos reais que desafiam os leitores a diagnosticar e aplicar todos os ensinamentos tratados em sua vida pessoal ou na gestão corporativa.

Há ainda os chamados “fatos e dados”, que exibem informações estatísticas e fatos empíricos, a fim de ajudar os estudantes a se referenciarem no mundo real para utilização das teorias financeiras apresentadas no livro.

Mais uma vez, é possível encontrar esse livro disponível gratuitamente na web. Ele está em pdf neste link!

4. Pai Rico Pai Pobre – Robert T. Kiyosaki

A inteligência financeira é constituída por quatro habilidades: a capacidade de entender os números, estratégias de investimentos, o mercado e as leis. São os fundamentos básicos para ser bem-sucedido na busca pela riqueza.”

É difícil falar sobre os mais importantes livros de gestão financeira do mundo e não citar Pai Rico Pai Pobre (186 páginas), do empresário, investidor e escritor havaiano Robert T. Kiyosaki.

Por meio de capítulos autossugestivos, como “Para que alfabetização financeira” e “Cuide de seus negócios”, a obra contesta a educação formal que não prepara os cidadãos para o desenvolvimento do espírito empreendedor, a educação financeira e o pensamento de longo prazo. Além disso, oferece dicas imprescindíveis para sair do círculo vicioso da pobreza.

Disponível gratuitamente neste link!

5. Saia da Crise – Edwards Deming

O estatístico, professor e pesquisador norte-americano William Edwards Deming (1900-1993) é considerado o verdadeiro guru em Gestão da Qualidade.

Vale ressaltar que muito dessa fama advém do consagrado Saia da Crise (1ª edição em 1982), um manual irretocável sobre aperfeiçoamento de produtos/serviços, cujo maior legado foi apresentar ao mundo os famosos “14 pontos da administração”, usados vastamente na reorganização dos processos de negócios da segunda metade do século XX.

Embora se refira essencialmente à qualidade de produção (industrial, por exemplo), o livro traz lições que podem perfeitamente ser aplicadas a um pequeno ou médio empreendedor que necessite aprimorar a eficiência da gestão de suas finanças corporativas, principalmente pela relação feita entre planejamento para o futuro e sucesso.

Alguns dos princípios que justificam a colocação dessa obra como um dos mais importantes livros de gestão financeira são:

  • constância de propósito;
  • eliminação do medo;
  • eliminação de quotas (padrões de trabalho), números e metas numéricas;
  • instituição de um forte programa de educação e autoaprimoramento.

Cada um desses pontos possui um raciocínio lógico que vai mudar a forma com que você lida com o dinheiro. Vale a pena conhecer!

Pois bem, chegamos ao final por hoje. Mas, se este artigo despertou sua sede de aprendizado e aprimoramento, você não precisa parar por aqui. Neste caso, além de criar um roteiro de leitura desses livros de gestão financeira, a dica é continuar conosco, compreendendo, por exemplo, como melhorar a qualidade da gestão de cobrança em sua empresa. Sucesso e até o próximo post!