Você sabe quais são os erros de gestão financeira mais comuns nas micro e pequenas empresas? Pode parecer um detalhe técnico, mas o conhecimento sobre os principais equívocos cometidos ajudará o seu negócio a controlar melhor as finanças e, dessa forma, crescer de maneira mais saudável.

De acordo com a pesquisa “Sobrevivência das Empresas” realizada pelo Sebrae, 23% das companhias fecham as portas nos seus dois primeiros anos de vida. Uma das principais causas é justamente a dificuldade de administrar a parte financeira. Pensando nisso, neste post abordaremos os 7 principais erros cometidos pelas companhias. Continue lendo!

1. Não ter orçamento

Sem dúvida alguma, trata-se de um dos principais problemas dos empreendedores. Muitos até começam a controlar, porém, por terem um tempo escasso e estarem ocupados com outras atividades operacionais da empresa, não mantêm controle financeiro e não conseguem estabelecer um orçamento.

Com isso, várias contas ficam acumuladas. Além disso, as planilhas e o orçamento ficam desatualizados. Com o passar do tempo, a situação financeira da empresa fica delicada, dificultando a resolução do problema.

Uma dica para evitar essa situação é destinar uma parte do seu tempo com a intenção de cuidar desses aspectos gerenciais e burocráticos. Dessa maneira, aos poucos, você se acostumará com a rotina e terá domínio dos números importantes em relação à saúde financeira.

2. Não saber os custos e despesas de cada serviço

Outro erro cometido com muita frequência é a falta de conhecimento em relação aos custos e despesas envolvidos em cada produto ou serviço disponibilizado aos clientes. Muitos empreendedores de diferentes áreas de atuação, por exemplo, não conhecem todos os gastos com fornecedores e matéria-prima.

O grande problema disso é que com esse desconhecimento fica mais difícil determinar um preço adequado para produtos e serviços do negócio. Em muitas situações, as empresas podem vender um produto por um preço tão baixo que a margem de lucro estará reduzida.

Essa prática, a médio e longo prazo, pode levar à falência da companhia. Isso porque provavelmente não conseguirá cumprir com todos os seus compromissos financeiros, como o pagamento de fornecedores, funcionários, tributos etc. Além disso, aumentam as possibilidades de o negócio apresentar prejuízo, inviabilizando a continuidade do empreendimento.

3. Misturar contas pessoais com as da empresa

Outra prática muito comum em micro e pequenas empresas é a mistura das contas pessoais com as empresariais. Esse hábito pode prejudicar qualquer negócio, não importando o tamanho. Usar o dinheiro pessoal com o intuito de quitar as despesas da companhia ou o contrário pode levar o empreendedor à falência ou à deterioração da saúde financeira da empresa.

Essa prática faz com que muitos gestores percam a referência sobre o que é dinheiro a empresa e o que é dinheiro pessoal, causando situações prejudiciais aos negócios e em muitos casos irreversíveis.

4. Não controlar o fluxo de caixa

Fazer o controle do fluxo de caixa é muito mais do que acompanhar os extratos bancários e atualizar as planilhas com os valores que já aconteceram. Também é necessário conhecer todas as despesas que ainda se realizarão e registrá-las, principalmente aquelas que você não pode deixar de pagar.

Além de verificar os gastos passados, a gestão do fluxo de caixa ajuda as empresas a planejar o futuro. Caso não tenha uma boa previsão das contas a pagar e a receber, não saberá quando será necessário antecipar o recebimento para pagar alguma conta e evitar juros, dentre outras situações.

As empresas que têm uma boa gestão de fluxo de caixa ainda conseguem verificar os fornecedores que recebem regularmente um pagamento elevado da empresa e observar os clientes que pagam as contas em dia. Esse conhecimento ajudará a manter um bom relacionamento com os consumidores e fornecedores, contribuindo para uma melhor negociação das condições de compra e venda.

5. Não conhecer o estoque de mercadorias

Esse conhecimento é essencial por dois motivos. Primeiramente, você não venderá ao cliente algo que não possui. Em segundo lugar, a empresa não desperdiçará dinheiro como armazenamento desnecessário.

Existem várias mercadorias que têm data de validade. Caso tenha muitos itens no seu estoque que se aproximam do prazo de vencimento, chegou o momento de fazer uma promoção. Caso contrário, aumentam os riscos de você pagar armazenamento para produtos estragados, além de perder o valor da mercadoria que não poderá ser vendida.

Outra situação comum é ter no estoque um grande número de produtos iguais. Nesse caso, talvez você esteja desperdiçando em armazenagem com um alto volume de itens com pouca saída. O estoque representa um dos maiores custos das empresas e tem relação direta com o preço das mercadorias nas prateleiras. Dessa maneira, otimizar o estoque é garantir competitividade e produtividade do seu empreendimento.

6. Não fazer balanço patrimonial

Na medida que as empresas crescem, é necessário fazer vários investimentos. Entre eles estão comprar imóveis, ferramentas, veículos, computadores, material de escritório etc. No entanto, esse crescimento acontece de maneira rápida e acaba se tornando desordenado. Nesse sentido, o balanço patrimonial ajuda a determinar os recursos que sua empresa possui e facilita a sua decisão sobre identificar o momento ideal para expandir ou retrair a companhia

7. Não ter sistema de gestão financeira

Esse é um dos principais erros de gestão financeira cometidos pelas micro e pequenas empresas. Os sistemas de gestão financeira são fundamentais para assegurar o conhecimento sobre todos os detalhes e processos que envolvem os negócios.

As ferramentas ajudam as companhias a controlar o fluxo de caixa, gerenciar o volume de produtos em estoque, o nível de receita e lucro, entre outras informações. Cada dado tem a sua importância e é estratégico para os empreendimentos. As pessoas têm bom domínio dessas informações conseguem aproveitar melhor as oportunidades e têm mais capacidade para corrigir os internos e externos da empresa.

A administração das finanças é fundamental para garantir o funcionamento de qualquer negócio. Isso porque as empresas que não conseguem gerir as suas contas podem se acumular em dívidas, seja com funcionários, fornecedores, ou outro, se tornando assim propícias a apresentar prejuízos. Além disso, sem uma boa gestão financeira o empreendimento terá mais dificuldade em aproveitar oportunidades, assim como antecipar e resolver problemas, prejudicando o crescimento do negócio.

Este conteúdo sobre gestão financeira de micro e pequenas empresas foi útil para você? Siga a gente nas redes sociais e receba, em primeira mão, mais conteúdos incríveis sobre finanças empresariais. Estamos no LinkedIn, Instagram e Facebook.